sexta-feira, 25 de março de 2011

7 fatos sobre o curso de Letras

Eu tenho o péssimo (e útil) hábito de ficar fazendo listas sobre tudo: o que gosto, o que não gosto, músicas, livros e filmes favoritos, coisas que me marcaram... E encontrei no meu caderninho-amigo uma lista com 7 fatos sobre quem cursa ou é formado em Letras - assim como eu, Medeia, linguísta orgulhosa, e a minha estimada amiga Calipso. E são eles:







1- O curso serve para aprender uma língua estrangeira: Não, não e não. Se você acha que cursar Letras é bom para aprender um novo idioma, está absolutamente enganado. Ao menos não quem acha que vai aprender tudo do zero. O curso procura aprofundar os estudos na área da linguagem de um modo geral, então espera-se que o estudante já tenha algum conhecimento na área - embora isso não signifique que esse hipotético aluno não possa se dar bem nas matérias de língua estrangeira. No meu caso o curso era voltado para a licenciatura, por isso o foco estava na maneira em que poderíamos aplicar aqueles conhecimentos em sala de aula. Para evitar frustrações, faça um curso de idiomas antes ou paralelamente ao curso de Letras.


2- No curso você só vai estudar Gramática Normativa: Se você também espera que o curso vá suprir qualquer tipo de deficiência curricular do ensino básico, sinto muito em decepcioná-lo. Assim como no tópico anterior, o que se tem no curso de Letras é um aprofundamento daquilo que, supostamente, aprendeu-se nos ensinos fundamental e médio. Claro que você aprende, tira dúvidas, mas não espere que no ensino superior as coisas sejam mais “mastigadas”. Vai depender muito da dedicação do aluno em estudar por conta própria. E a gramática pode ser abordada de várias maneiras diferentes no ensino superior, muitas vezes bem menos intimidante do que na escola.

3- “Ah, mas ao menos vou ter tempo para ler”: É a primeira ilusão que cai por terra quando se entra no curso de Letras. São tantos textos a serem lidos e matérias a serem estudadas, que dificilmente vai sobrar tempo livre para leituras paralelas. E até mesmo para as leituras obrigatórias. Ou você abre mão de algumas horas de sono (ou deixa de comer, vai saber...), ou aproveita qualquer minuto livre em filas de ônibus e banco, sala de espera do dentista etc - e põe a leitura em dia. O importante é não deixar de ler e não se deixar intimidar pela quantidade massiva de material literário. Depois de um tempo fica mais fácil administrar isso tudo, você consegue uma certa autonomia em decidir qual leitura merece mais prioridade.

4- Ninguém sabe o que uma pessoa formada em Letras faz: Infelizmente, é verdade. Já perdi as contas de quantas vezes fui alvo daquele olhar vazio e perdido quando digo que sou formada em Letras, pois a pessoa simplesmente não sabe do que se trata. Daí, para simplificar, digo que é um curso que forma professores de línguas - o que não é exatamente isso, mas ao menos não faço uma explanação complexa sobre os estudos da linguagem e a sua importância sócio-cultural-cognitiva.

5- Não existe dia do linguísta: Juro que já procurei e fucei nas internerds, mas não achei nada. O máximo que encontrei foi o “Grammar Day”, comemorando nos EUA no dia 3 de março. E nem existe um equivalente no Brasil (se alguém souber, divida conosco!). Existe dia do biólogo, do matemático, do historiador, mas do linguísta... nada. Até porque, aqui no Brasil, quem se forma em Letras raramente é chamado de linguísta, mas apenas de “professor”. Não tenho problema nenhum em ser chamada de professora, mesmo não exercendo a profissão (aliás, fico até emocionada quando me chamam assim), mas o caso é que não existe muita apreciação na área. O meu único consolo, por enquanto, é saber que existe dia do Tradutor - então vou poder comemorar alguma coisa relacionada diretamente à minha área de atuação.

6- As matérias não são isoladas, mas acabam integrando-se de uma forma ou de outra: Ah, você entrou no curso porque gosta de literatura, mas detesta gramática? Amigo, vou te contar uma coisa: vai ser difícil escapar da bendita gramática nas aulas de literatura. Assim como também não vai fugir de Linguística quando estudar Teoria Literária. Ou nas aulas de Língua Inglesa. Isso quando tudo não vem misturado nas aulas de Estilística ou Linguística Textual, caso as matérias façam parte do seu currículo. Não existe uma caixinha com compartimentos onde se possa guardar os conhecimentos separadamente. Tudo está linkado.

7- A incapacidade de ler algo despretensiosamente: Teu namorado te escreveu um cartão lindo para o Dia dos Namorados. Ele pode não ter escorregado na gramática, mas você vai analisar cada palavra, cada vírgula, em busca de algum sentido maior (Bem-me-quer, Mal-me-quer... será?). Vai analisar o estilo do texto, a escolha de palavras e o uso de estruturas sintáticas. Ler um livro bobo, para se distrair na viagem à praia, pode acabar se tornando o tema de um possível artigo acadêmico porque você começa a pescar referências e a ter ideias sobre como aquele texto foi estruturado, ou o discurso por trás daquele parágrafo em específico... Em suma: linguísta não consegue ler nada sem analisar e criticar. E, para nós, isso é a alegria suprema porque estamos constantemente cercados por material de estudo, sempre instigando a nossa criatividade e raciocínio crítico.

Resumindo: Letras é o tipo de curso que só quem realmente ama compreende a sua beleza.

39 comentários:

Jorge Leberg disse...

Concordo com cada palavra e vírgula, aliás bem colocadas, do teu texto. Curso de Letras é tudo isso mesmo. Bom que eu já entrei curso desprovido de algumas ilusões, até pela minha anterior experiência acadêmica, e já com um olhar todo crítico e estético diante de minhas leituras de livros e do mundo (uma íntima e intrinsecamente relacionada à outra, como bem sabemos); e sofro demais com as leituras massivas, sobretudo teóricas, que pouco deixam tempo para as leituras paralelas, inclusive teóricas também: definir prioridades literárias, no decorrer do curso, é essencial.

E Gramática Normativa talvez seja a pior disciplina na qual somos obrigados a nos aprofundar, de uma forma ou de outra, do curso; sou maia a Sociolinguística, hehe. Abração!

Pedro Moreno disse...

Muito interessante a postagem. Sou formado em Comunicação Social, mas pretendo fazer Letras. Confesso que algumas coisas eu não sabia. Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

estou disisperada!
quero fazer letras mas odeio gramatica,


quero ser interprete

....
o que faço...
kkkk

me dá uma dica???!!!!??
kkkk

att,,

Anônimo disse...

Muito Legal!!!Sou formada em Letras,amo humanas vale a pena sim mas tem que gostar e estar preparado para muita dedicação.

Me Gustas Mucho BH disse...

Não concordou com alguns poucos itens. Estau quase me formando em Letras, pela UFMG, na modalidade Bacharelado nunca leio textos e tiro A em tudo. E aprendi língua alemã! Acho que gastei vida, pois fiz PUC também (3 períodos de Letras) e achava tudo fácil demais. Muito blá blá blá, nenhuma prática. Blog legal!

Anônimo disse...

por favor me ajude qual e o melhor salário letras ou pedagogia?

Anônimo disse...

Parabéns por sua linda formação!! Sou dentista, estudante de Direito e admiro muito o curso de Letras pelo cabedal de cultura que ele proporciona. Sou também um fã de nossa gramática.

Boa sorte!!

Carlos

Anônimo disse...

FIQUEI FELIZ PELAS INFORMACOES.MUITO OBRIGADO,TU FOI MUITO FELIZ NAS EXPLICAÇOES.DA QUI A ALGUM TEMPO, ESTAREI CURSANDO LETRAS TAMBEM,ACHO QUE MEU DESTINO É ESSE ..............

Anônimo disse...

JOSÉ ,0411184774209 ME LIGA PRA GENTE TROCAR UMAS INFORMAÇOES , OBRIGADOOOOOOOOOOOOOOOO

Guilherme Rodrigues disse...

Olá! Texto muito bem explicado. Nunca tinha visto um resumo, uma explicação tão detalhados sobre o curso de Letras. Sou formado em Letras também. Amo Linguística. Acho que desfaz muitas dúvidas de quem quer se adentrar na área ou apenas para os leigos. Amo Literatura. Gramática nem tanto.
Parabéns pelo texto!!

Filipe disse...

Muito obrigado pelo texto. Me esclareceu algumas coisas. Pretendo cursar Letras também.

Contudo, o que me dá mais temor em pensar em que terei de ler pilhas e pilhas de livros. Gosto de ler, mas não sei se terei tempo e "pique" para isso.

Anônimo disse...

Adorei o texto!!! E parabenizo quem o escreveu por elucidar ideias equivocadas a respeito da área, pelo tom apaixonado com o qual defende sua profissão.
Penso que o comentário de "Me Gustas Mucho de BH" é muito infeliz. Como professora de ensino superior, compreendo que quem faz um curso de graduação e não lê nada de sua área está, no mínimo engando a si próprio.

Anônimo disse...

Adorei o texto!!! E parabenizo quem o escreveu por elucidar ideias equivocadas a respeito da área, pelo tom apaixonado com o qual defende sua profissão.
Penso que o comentário de "Me Gustas Mucho BH" é muito infeliz. Como professora de ensino superior, compreendo que quem faz um curso de graduação e não lê nada de sua área está, no mínimo, enganando a si próprio.

Anônimo disse...

Eu adorei o blog e eu indiquei a todos os intelectuais que são colegas meus e que se interessam pelo assunto esse blog eu indico outros textos do mesmo. FICA A DICA!

Fabiola Felipe disse...

OI estou prestes a entrar no curso de letras, estou fascinada pelo curso embora as vezes sinto um pouco de dificuldade estou me dedicando bastante abraços bjuss




Anônimo disse...

Linguista não tem acento.

sulamita_blanc disse...

Oi adorei o texto foi ótimo, eu quero fazer letras mas tem um problema muito grande, eu trabalho e só tenho o horário noturno para cursar letras e a melhor faculdade de onde eu moro e a UFRJ e eu não sei se lá da curso noturno de letras eu já procurei saber mas ta difícil. Você poderia me responder ?

Francelly de cassia dos santos cassia disse...

Parabéns pelo blog,me deu uma pouquinho de referência pq estou naquela dúvida cruel em qual cursar.
Letras ou História?eis a questão.
Escolhi um desses cursos para fazer pq é o que eu gosto e sei que farei com amor e não por dinheiro,pq sei que ele virá naturalmente através dos meus esforços.Mais uma vez parabéns.

Abraços

Rose Oliveira disse...

Peço sua licença, mas não pude deixar de postar suas 'verdades' no face. Achei no google o dia 21 de maio como o dia do profissional de letras e algo referente ao dia da morte de Saussure como dia do linguista, mas nada confirmado sobre isso.

André Luiz D. Silva Filho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Luiz D. Silva Filho disse...

Sempre pensei em fazer letras, mas agora que estou no 3° colegial fiquei em dúvida se optava por direito ou letras, já que o profissional jurídico é mais valorizado que qualquer tradutor, mas o meu medo é de frustar por não ter feito o curso que eu sempre pensei em fazer e não poder usar os idiomas que eu falo. Desde criança eu sempre tive paixão pelo estudo de idiomas diferentes, já até pensei em fazer R.I., mas parece que é meio complicado arrumar emprego nesta área.

Jéssica O. disse...

Aqui é a "Medeia", autora do post. Fiquei super feliz em ver tantos comentários positivos sobre este texto. Obrigada mesmo.

Cursar letras é algo que envolve muito amor e dedicação - é um curso que pode parecer desvalorizado, sem muito prestígio, mas que traz um enriquecimento pessoal muito grande. Falo isso como alguém que não se arrepende em nenhum momento por ter escolhido essa carreira.

Respondendo o comentário do André, acho que uma boa seria tentar unir as duas áreas, tanto o direito quanto letras. Se você tem a intenção de ser tradutor, a área de tradução jurídica é bem prestigiada. Não é muito fácil, mas pode ser recompensadora. Para ser tradutor você não precisa de uma formação acadêmica (embora facilite muito o processo), então cabe a você pesar o que é mais interessante: ser um tradutor formado que se especializa na área jurídica ou ser formado em direito e fazer alguma especialização em tradução. Ambos os caminhos podem ser proveitosos.

Novamente agradeço os comentários.
Saudações,
Jéssica/Medeia

A escritora sonhadora disse...

Eu estou no primeiro semestre de Comunicação Social, mas quero mudar de curso. É raro encontrar algo falando sobre o curso de Letras e eu queria mesmo algo que me dissesse com sinceridade em que caminho eu estou entrando. Ótimo texto, esclarecedor e só reforçou a minha vontade em fazer Letras.

Beijoos!

Karina Lima disse...

ameiii!

Karina Lima disse...

ameiii!

Francisco disse...

Nos três primeiros fatos tu me desapontou.Sei pouquíssimo de Inglês e tenho muita vontade de aprender,porém não tenho grana pra fazer cursinhos e pretendia aprender na faculdade.
Em compensação,o último fato:AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!! Que delícia!!!!!!!!!!!!

Betynha disse...

Aqui é a "Calipso", fundadora do blog ao lado da Jéssica, e tive que responder Francisco:

Aprender o máximo de inglês nos três anos de curso, obviamente, vai depender muito de você, mas também do programa que foi escolhido para o curso. E isso também vale para todo o curso de Gramática, porque o ideal é aprofundar o conhecimento, mas a verdade não é bem essa, não é?
E quanto a ter tempo para ler: não há saída, a gente tem que conciliar a necessidade de ler livros da área, especialmente os de linguística, e a vontade de ler ficção (ou não ficção).
Eu particularmente desisti de ficção por um tempo, lendo apenas o que era necessário nas matérias específicas de literatura.

No mais, venha para o lado 'letrado' da força e se acomode, não é fácil, mas é muito divertido.

Abraço.
Elizabete.

Aline Guarda disse...

Simplesmente amei!!! É bem assim mesmo... Sou formada em Letras e na época que estava cursando virava a noite com intermináveis textos. Entrei no curso por amar inglês, odiava gramática e literatura... só que o curso é maravilhoso, além de aprender muita coisa, saí amando a minha língua, a minha cultura! Apesar de nunca querer atuar como professora, jamais me arrependi da escolha que fiz... e se pudesse voltar atrás, faria tudo novamente! É incrível com o curso de Letras te faz evoluir não só profissionalmente, mas também como pessoa.

DELCIMAR BEZERRA disse...

"Me Gustas Mucho BH disse...

Não concordou com alguns poucos itens. Estau quase me formando em Letras, pela UFMG, na modalidade Bacharelado nunca leio textos e tiro A em tudo. E aprendi língua alemã! Acho que gastei vida, pois fiz PUC também (3 períodos de Letras) e achava tudo fácil demais. Muito blá blá blá, nenhuma prática. Blog legal!"

Formando-se em letras e escrevendo desse jeito ? Que vergonha ! E que conversa é essa de que nunca lê textos ? Que diabo de faculdade vc faz ? Tem certeza que é letras mesmo ?

Marcos Colares disse...

Muito bom o seu texto, me identifiquei muito com ele. Planejo fazer o curso de Letras - Lic. em Língua Portuguesa e Inglesa, e o seu resumo final está corretíssimo, somente quem ama reconhece a sua beleza.

thays andrade disse...

Amei seu texto estou cursando o 5º período de letras e gosto muito do meu curso

Aleonam C disse...

Olá! Amo letras também, tanto literatura, quanto gramática. Caso saiba, gostaria de informações sobre quais faculdades particulares são consideradas boas em BH. Obrigada

Alexandre Alexandre disse...

Estou no sétimo período de nove pela UFF/CEDERJ. AMOOOOOOOO.

Alexandre Alexandre disse...

Muito bom

karinne pereira disse...

Vivo numa indecisão absurda quanto cursar primeiro letras ou pedagogia. Amo Gramática e Literatura enfim mas sabemos que é muito trabalhoso estudar Gramática 😅

Débora Lima disse...

Muito bom o blog! Eu estava com muitas dúvidas sobre o curso de Letras e se realmente era isso que eu queria e você esclareceu todas elas me dando segurança.
E além disso encerrou o texto com uma luz decisiva para mim, já que acho a Língua Portuguesa a mais bonita do mundo! Obrigada!

Klin disse...

Olá!
Faço medicina veterinária, mas estou pensando em mudar de curso porque ultimamente só tenho lido textos científicos sem a beleza e cuidado da escolha de palavras. Estou ficando deprimida! Sei que a faculdade rouba de nós esse prazer que é ler livros aleatórios e para uma pessoa que tem a leitura como a principal fonte de distração isso é a morte. Não, não estou cogitando Letras porque quero tempo pra ler, não sou tão ingenua a esse ponto, mas por um fascínio que tenho pela forma como a língua representa e guarda a cultura de um país, em especial o Português que além de guardar a nossa, guarda também a identidade de Portugal que foi perdida na União Ibérica. Povos de diferentes culturas foram unidos como nação por uma unica língua, e ainda assim, ela é flexível e representa cada cultura através dos diferentes sotaques.
Enfim, sou apaixonada por todas as regras e exceções do Português e agora me encontro dividida entre essa e a paixão pela veterinária.
Vim aqui a procura de uma luz.
Adorei a lista.

Eulane Karinne disse...

no começo estava apenas procurando um curso que fuga de números, matemática, porque sou péssima com cálculos e estava pensando em fazer um curso nada haver. Mas também escrevo desde criança e hoje estou com lançando umas fanfic online e sempre amigos falando para me fazer letras porque sou apaixonada por Português e hoje decide que será isso mesmo que vou fazer. E com essas pesquisas estou cada vez mais me apaixonando pelo curso. Obrigado!

Luh Rossetti disse...

Amo ler!
Amo a Literatura Inglesa e Italiana, pretendia fazer faculdade sobre isso.
Mas tenho um serio problema: não sou boa na gramática e redação. E por causa disso, estou enfrentando um dilema se faço Letras ou não.
Preciso de um HELP!
Obrigada!